Holografia

Quando uma imagem é criada, apresentada ou registrada em duas dimensões elaboradas de tal forma a proporcionarem a ilusão de terem três dimensões são denominadas Holografias, porém, não é apenas mais uma simples forma de visualização em 3 dimensões, mas sim um processo de se codificar uma informação e depois (através do laser) se recriar “integralmente” esta mesma informação.

O que é Holografia e como funciona?

Os elementos principais para produzir um holograma são: uma fonte de luz que se propague numa só direção, como o laser, e um filme hipersensível. A luz proveniente do raio laser é dividida em dois feixes: o primeiro ilumina o objeto, que a reflete sobre o filme; o segundo ilumina diretamente o filme.

O que é uma imagem holográfica?

holografia é, basicamente, uma maneira de fazer o registro para apresentar uma imagem em três dimensões pelo uso essencialmente da luz. O conceito foi criado em 1948 por Dennis Gabor e hoje se expande com as mais diversas utilidades e aplicações.

Tipos de Hologramas:

Hologramas Analógicos, holograma por transmissão, o feixe de referência e o do objecto incidem do mesmo lado da placa holográfica, o que origina padrões de interferência perpendiculares ao plano da placa.

Hologramas Digitais:

Na holografia digital, o meio de gravação convencional (placa holográfica) é substituído por um dispositivo de carga acoplada (em inglês, Charge Coupled Device – CCD) e a reconstrução passa a ser feita por computador. O CCD é um sensor para captação de imagens formado por um circuito integrado que converte intensidades de cargas eléctricas em informação digital, o que permite traduzir um padrão de interferência em bits, ao actuar como uma matriz de pixéis.

Hologramas Gerados por Computador:

Neste tipo de hologramas, os padrões de interferência são digitais, gerados por cálculos computacionais e o processamento é digital, o que dispensa a existência de uma montagem óptica e tem como grande vantagem a possibilidade de representar objectos que não existem fisicamente.

O computador gera o padrão de interferências e usa-o num modulador espacial de luz (em inglês, Spatial Light Modulator – SLM) que vai difractar a luz incidente de um laser, de forma semelhante ao que as placas holográficas fazem, o que permite reconstruir o campo luminoso do objecto original, recriando-o tridimensionalmente. Em alternativa, o padrão pode ser armazenado ou reproduzido em displays 3D.

Existem vários tipos de hologramas que variam, de forma geral, na forma como é efetuada a gravação (meios e técnicas de gravação e tipos de modulação da onda), a reconstrução e o display.